Quarta-feira, 22 de Novembro de 2017

Varejo ampliado avança 1,0% em set/17 e pode encerrar 2017 com alta de 2,1%.


Os dados das vendas varejistas de set/17, divulgados nesta manhã pelo IBGE, apontaram para avanço de 0,5% na passagem do mês, de agosto para setembro, com ajuste sazonal, acima da mediana das expectativas do mercado (+0,2%). O resultado veio na sequência do recuo de 0,4% (antes da revisão: -0,5%), apontada no mês anterior no mesmo modo de comparação. Na comparação interanual, set/17 contra mesmo período do ano anterior, as vendas do varejo apresentaram avanço de 6,4%, apresentando o sexto resultado positivo consecutivo neste modo de comparação. No mês anterior, a variação interanual foi revista de 3,0% para 3,6%.

 

Com relação ao conceito Varejo Ampliado (que inclui automóveis e material para construção) em set/17, a pesquisa revelou avanço de 1,0% (expurgado os efeitos sazonais) na passagem do mês, e aumento de 9,3% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

 

Nesta mesma leitura, o varejo restrito encerrou 12 meses com -0,6%, ao passo que no varejo ampliado a queda foi de -0,1%, especialmente devido ao desempenho das vendas de materiais de construção, que avançaram 3,7%, ao passo que veículos e motos, partes e peças retraíram 3,1%.

 

Na margem, o avanço foi observado na maioria dos segmentos, dado que 5 de 8 atividades do varejo restrito apresentaram aumento das vendas em comparação ao mês anterior.

 

Na comparação com ago/17, aqueles segmentos que aumentaram as vendas e foram preponderantes para o resultado foram: Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (1,0%), Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (4,3%), Outros artigos de uso pessoal e doméstico (2,9%), Tecidos, vestuário e calçados (0,2%) e Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (0,9%). No sentido oposto, recuaram as vendas de Combustíveis e lubrificantes (-0,7%), Livros, jornais, revistas e papelaria (-3,4%) e Móveis e eletrodomésticos (-0,7%). No varejo ampliado, as vendas de Veículos e motos, partes e peças retraíram 0,4%, ao passo que de Materiais de Construção aumentaram 0,5%.

 

Na comparação entre set/17 ante set/16, 5 das 8 atividades do varejo restrito avançaram, sendo por ordem de contribuição: Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (6,0%) e Móveis e eletrodomésticos (16,6%), Outros artigos de uso pessoal e doméstico (10,8%), Tecidos, vestuário e calçados (11,7%), Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (8,3%). No sentido oposto, recuaram as vendas de Combustíveis e lubrificantes (-4,1%), Livros, jornais, revistas e papelaria (-6,4%) e Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (-3,0%).

 

No varejo ampliado, o segmento de Veículos e motos, partes e peças aumentou 10,8% e Material de Construção avançou 15,5%.

 

Veja mais detalhes dos ramos de atividades que compõem o indicador, na tabela abaixo:

 

Atividades (Var. %)

Set/17 (m/m)

Set/17 (a/a)

Acum. No Ano

12 Meses

Comércio Varejista

0,5

6,4

1,3

-0,6

1 - Combustíveis e lubrificantes

-0,7

-4,1

-3,2

-4,4

2 - Hiper, supermercados, prods. alimentícios, bebidas e fumo

1,0

6,0

0,4

-0,7

3 - Tecidos, vest. e calçados

0,2

11,7

7,8

1,8

4 - Móveis e eletrodomésticos

-0,7

16,6

8,8

3,1

5 - Artigos farmacêuticos, med., ortop. e de perfumaria

4,3

8,3

1,0

-0,6

6 - Livros, jornais, rev. e papelaria

-3,4

-6,4

-3,6

-6,4

7 - Equip. e mat. para escritório, informática e comunicação

0,9

-3,0

-1,1

-2,3

8 - Outros arts. de uso pessoal e doméstico

2,9

10,8

1,8

-0,2

Comércio Varejista Ampliado

1,0

9,3

2,7

-0,1

9 - Veículos e motos, partes e peças

-0,4

10,8

0,5

-3,1

10- Material de Construção

0,5

15,5

7,5

3,7

 

Na comparação trimestral, comparado ao mesmo período do ano anterior, as vendas no varejo ampliado apresentaram avanço de 7,5%, enquanto no 2º tri apresentou expansão de 2,9%. Neste 3º tri em relação ao trimestre imediatamente anterior as vendas avançaram 2,2%, ante +1,8% no 2º trimestre.

 

As condições conjunturais seguiram favoráveis no 3º trimestre deste ano. Tal fato é mais uma evidência de que a recuperação se manteve neste segundo semestre e até se intensificando no que tange as vendas no varejo, devido a maior renda disponível, queda no custo do crédito e estabilização do mercado de trabalho.

 

Devido aos desdobramentos mais recentes e incorporando este último resultado em nossos modelos, revisamos a projeção das vendas no varejo ampliado em 2017 de 1,2% para 2,1%. Já para 2018, mantemos a projeção de 3,0%.

 

Parallaxis Consultoria | parallaxis.com.br – Av. Paulista, 1159 – Cj. 1004 – São Paulo, SP

Tel: +55-011-3101-1368

 

Research Macro: Rafael Leão, Diego Machado, Renato Intakli e Gustavo Brazzalotto.